quarta-feira, 16 de agosto de 2017

SUPERAÇÃO NÃO É UMA ESCOLHA MAS UMA NECESSIDADE

Por que temos que lidar adequadamente com os desafios da vida que, muitas vezes, geram situações limitantes? Isso nos impulsiona à SUPERAÇÃO? A vida é cíclica e exige sabedoria para sabermos quando uma etapa se encerrou e uma nova já se instalou, possibilitando mais experiências, aprendizado e transformações mais condizentes com o crescimento momentâneo. Cada desafio traz a possibilidade de renovação, inovação e descoberta de potenciais que aparentemente estavam adormecidos, aguardando o momento certo para proporcionar mais coragem, força e fé. Quando algumas portas se fecham, outras se abrem trazendo infinitas possibilidades e exigindo parada e reflexão para indicar qual o aprendizado de cada momento. Trabalhamos sempre com duas possibilidades: o que queremos fazer e o que precisamos fazer e nem sempre há uma compatibilidade entre ambas. Maturidade é saber lidar com o que precisamos fazer, sem perder de vista o que queremos fazer e com certeza isso nos levará à busca da SUPERAÇÃO. Muitas vezes, uma mudança na percepção dos desafios é suficiente para compreendermos qual é o aprendizado do momento. Assim, a fragilidade momentânea gerada por situações limitantes pode ser vista como uma “ferramenta” importante para aflorar a força e o poder que existem dentro de nós. Isso mostra que ser forte talvez seja a única opção em determinada situação e sendo assim, a SUPERAÇÃO não se torna mais uma escolha, mas uma necessidade para o crescimento e a evolução. Sandra/Sanastro e-mail: sanastro47@gmail.com SP. 14/08/2017

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O IMPORTANTE PAPEL DO CUIDADOR

Hoje observei mais atentamente as pessoas que se encontram no papel de cuidador de alguém que necessita de atenção especial, como no caso de doença em família. Isso me fez observar que o papel do cuidador é muito mais difícil do que o do doente. Este, o doente, já tem seu programa traçado e não tem outra escolha a não ser “lutar com garra e coragem” e seguir o tratamento. Entretanto, muitas vezes essa caminhada exige o acompanhamento de um cuidador. É nisso que estou focando, nessa pessoa que mostra um nível de abnegação e devoção, muitas vezes, sem o reconhecimento adequado. O cuidador é uma pessoa que está sempre junto, que divide todas as angústias, exercendo também um papel de apoio psicológico, uma atividade que envolve um caráter emocional. É alguém que o doente pode contar e nem sempre isso é uma tarefa fácil. Aos cuidadores são exigidos oferecer cuidados intensos e com isso ter sua vida pessoal modificada, pois além da dedicação ao paciente, precisam substituir as tarefas por ele desempenhadas previamente e reorganizar as tarefas de sua responsabilidade e vida pessoal. O exacerbado senso de responsabilidade fica em contraposição com o reduzido senso de liberdade, diminuindo sua independência, restrição de tempo para as atividades pessoais e muitas vezes restrição de sono e descanso. Muitas vezes, o cuidador não está preparado para o exercício da função que acaba sendo consolidada pelo próprio doente, por isso, eventualmente, mostrar uma fragilidade não é problema algum. É preciso que haja uma relação de confiança para não haver sofrimento de ambas as partes. O ponto focal é que muitas vezes, o cuidador “para sua vida”, abrindo mão de suas atividades, de seus projetos, objetivos e de sua própria vida. Mas, o cuidador não pode se esquecer dele próprio e que tem de se cuidar também. Precisa ter em mente que se não estiver bem, não consegue dar conta do outro. Mas, imbuído do espírito de dedicação, muitas vezes, esses limites não são reconhecidos. Existem alguns sinais de que o cuidador está chegando no seu limite e que é preciso uma pausa momentânea, um descanso da atividade. A irritação é um deles, pois quando começa a perder a paciência, dormir mal ou incomodar-se com coisas banais, está na hora de parar um pouco, descansar e pedir uma ajuda a outras pessoas que podem assumir temporariamente o seu papel. Por mais que o doente necessite de atenção é sempre possível encontrar um tempo para cuidar de si próprio. A relação cuidador/paciente é muito delicada. Aliado ao esforço físico o sofrimento emocional desse contato com alguém que está sofrendo, que está perdendo sua vitalidade dia após dia é muito difícil e requer equilíbrio e controle emocional. A redução do estresse pode ser encontrada no apoio emocional, social e familiar. O cuidador precisa ser cuidado, para suportar as perdas, construir alternativas e aproveitar as possibilidades. Sandra Giannoni/sanastro e-mail. Sanastro47@gmail.com fone: 5183.9350

O HORÓSCOPO ESOTÉRICO SEGUNDO ALICE BAILEY

Para Bailey o tema esotérico deve ser geometrizado (corroborando o fato de que Deus geometriza), e cada aspecto da carta integrado ao conjunto de elementos do qual participa. Vejamos o texto a seguir: “ Vinculada com a ciência esotérica da astrologia, existem ciências subsidiárias como a CIÊNCIA DOS TRIÂNGULOS; existe também a CIÊNCIA DAS RELAÇÕES, que concerne às relações entre os inumeráveis QUATERNÁRIOS que podem ser descobertos nas interrelações planetárias, na relação entre quatro constelações, ademais de inumeráveis quaternários humanos e divinos. Além disso temos a CIÊNCIA DAS ESTRELAS DE ENERGIA, como a estrela de seis pontas da humanidade, sendo o símbolo mais conhecido desta ciência o Selo do Reio Salomão. Estas estrelas, triângulos e quaternários, acham-se em todos os horóscopos – humano, planetário, do sistema cósmico e constituem o desenho da vida do ser particular que está sendo investigado; determina o momento da manifestação e a natureza das emanações e influências. Os quadrados ou quaternários referem-se à aparência material ou expressão da fora; as estrelas concernem aos estados de consciência e os triângulos estão vinculados com o espírito e a síntese. Nos arquivos dos astrólogos esotéricos, conectados com a Hierarquia, guardam-se os mapas desses membros da família humana que tem alcançado o grau de adeptos e posições superiores. Mapas compostos de quadrados, estrelas e triângulos sobrepostos, contidos na roda zodiacal e colocados sobre o símbolo da Cruz Cardinal (Astrologia dos Sete Raios) .” Também menciona-se a Estrela de Cinco Pontas, representada em cor amarela ou dourada. As cores mencionadas dos restantes são: os quadrados são marcados em negro e os triângulos em azul. Cada uma destas formas relacionam-se ainda a um grupo de constelações definidas. Tal descrição geométrica aponta inicialmente para a estrutura zodiacal, mas também inclui os Aspectos que, vistos esotericamente, adotam os seguintes significados: TRÍGONO (120 graus) = espírito; QUADRATURA (90 graus) = matéria; QUINCUNCE (72 graus) = alma. Os restantes aspectos seriam derivações destes. Desse modo ressaltam-se as três Formas que fundamentam os SOLIDOS REGULARES, ou seja: O TRIÂNGULO, O QUADRADO e o PENTÁGONO, assim como os sólidos entre si, que também devem servir de base para a geometrização da carta”. Sandra Giannoni/Sanastro Sanastro47@gmail.com Fone: 5183.9350 SP. 12/06/2017

sexta-feira, 9 de junho de 2017

PERMITA-SE VIVER E NÃO APENAS SOBREVIVER

Muitas vezes nos sentimos cansados e sem energia para canalizar nossas ações e atingir nossos objetivos. Nesses momentos, precisamos reavaliar o quanto estamos nos permitindo VIVER e não apenas SOBREVIVER, diante das circunstâncias, dos compromissos e das obrigações. Diante de tal reflexão lembrei-me de dois trechos de uma poesia do poeta que tenho grande admiração, J.G. de Araújo Jorge e pus–me a refletir sobre o tema. São eles: “.... vontade preguiçosa de pegar meus nervos e fazer deles uma rede para descansar!! “... como é bom fazer nada e depois descansar”! Muito significativo e importante o que há por trás das palavras. De vez em quando precisamos quebrar nossas próprias regras sem nos deixar levar pelo sentimento de culpa, reservando um tempo para “curtir” nossa agradável companhia e desfrutar do encontro com a nossa alma, em momentos sublimes de quietude e descontração. Sem programar nada, podemos deixar que o dia nos surpreenda com tudo aquilo que a vida pode nos proporcionar: possibilidades, descobertas e até mesmo desafios se apenas nos mantivermos abertos e receptivos. Nestes dias podemos nos divertir com todas as experiências e extravagâncias, principalmente se somos adeptos de uma rotina muito organizada. A rotina pode ser um consolo de que tudo está programado e dentro do nosso controle, mas é também favorável, de tempos em tempos, quebrar alguns regulamentos para obter uma sensação diferente e gostosa a respeito de nós mesmos e de como encarar as circunstâncias da vida. O que importa se deixamos a louça se acumulando na pia por um período? se ficamos de pijama o dia todo assistindo um filme? se a barba não foi feita e se a cama não foi arrumada??? Esse desprendimento traz uma sensação de liberdade e bem-estar a respeito do chamado que vem do nosso interior, sobre “relaxar” e deixar a vida nos levar. Além disso, sabemos que podemos escolher voltar às regras ainda mais renovados, leves e retomar as atividades com muito mais serenidade e sem perder o controle. Um “pecadinho leve” mas responsável pode dar um novo gás às nossas vidas sempre que nos sentimos estressados numa rotina torturante ou quando o nível de autocobrança estiver no seu limite máximo. Outro dia, ouvi de uma cliente que “meditar” lhe dá a sensação de perda de tempo e ociosidade. Mas, é exatamente esta prática de desprendimento que nos fortalece e nos dá forças para lidarmos com aquilo que a realidade nos apresenta a cada momento, exigindo nossa atenção e ação. A partir daí, saímos revigorados, equilibrados e conscientes de que podemos canalizar nosso poder diante de cada exigência ou desafio que se nos apresenta a cada momento. Levar a vida é muito diferente de deixar a vida nos levar! SANDRA/SANASTRO E.mail – sanastro47@gmail.com Sanastro.blogspot.com.br SP. 07/06/17

quarta-feira, 31 de maio de 2017

ENTENDENDO AS LIÇÕES DA VIDA, APARENTEMENTE NÃO MUITO CLARAS

ENTENDENDO AS LIÇÕES DA VIDA, APARENTEMENTE NÃO MUITO CLARAS! Tentando entender por que coisas que aparentemente estavam dando certo em nossa vida, de repente vão embora!!!! Isso pode relacionar-se a um trabalho que estava fluindo bem, um tratamento médico de sucesso que temos que abandonar de uma hora para outra, um relacionamento que aparentemente se mostrava engrandecedor e que de uma hora para outra, mudam de rumo! Surgem questionamentos, reavaliações e impulsos para tentar entender qual o significado de tais experiências. Sabemos que a nossa vida é regida por ciclos, mas também precisamos entender qual é a mensagem que a vida está nos trazendo com a nova experiência e tentar se adequar ao novo rumo das coisas. Li certa vez uma frase do autor Rainer Maria Rilke: “ .. seja paciente com tudo que está mal resolvido em seu coração e tente amar as perguntas em si como quartos trancados ou livros escritos numa língua muito estranha”. A partir daí, esforçamo-nos para conhecer e compreender, mas ao mesmo tempo constatamos que temos muitas perguntas não respondidas em nosso coração. Mas, não precisamos respondê-las para evoluir e crescer e a única coisa que podemos fazer em dadas situações é aceitá-las com coração indagador e mente aberta. Temos certeza de que quando estivermos prontos a resposta chegará, seja na tradução da língua estranha ou na chave que abrirá um quarto trancado. Mesmo assim, nem todo esforço nos fará alcançá-las se não estivermos prontos para isso. A paciência é um dom inestimável e se formos pacientes é porque alcançamos a auto-aceitação, confiantes de que quando precisarmos, tudo aquilo nos será mostrado. Essas podem ser experiências desafiadoras, quando não temos todas as respostas, mas temos certeza de que cada desafio está contribuindo para o aprendizado que estamos destinados a cada momento e na verdade existe um “Plano Superior” atrás dessas experiências. Não precisamos compreender tudo, mas manter a fé de que a vida está se desenrolando para o aprendizado que nos é destinado a cada momento. Cultivando a fé não ficarmos apegados ao que está “saindo”, mas surpreendemo-nos com o que está “chegando” para nos proporcionar um novo nível de evolução e crescimento. Não podemos ter medo dos desafios, pois eles não estariam nos mostrando se não estivéssemos prontos para eles. Abandonar velhas posturas com confiança, que nem sempre compreendemos conscientemente o que está acontecendo, é o melhor caminho para evoluir com graça e serenidade. Manter a fé e a confiança destemida de que é seguro deixar que o “destino maior” faça seu trabalho de modo que possamos nos elevar de maneira renovada no nosso crescimento espiritual. Sandra Giannoni/Sanastro e-mail: sanastro47@gmail.com sanastro.blogspot.com.br S.P. 30/5/2017

quinta-feira, 4 de maio de 2017

ONDE ESTÃO NOSSOS ANJOS?

“Cada um possui, como Sócrates, um espírito acompanhante; sábios são aqueles que atendem seus sinais”. Certamente muitas pessoas já ouviram falar dos Anjos e mais ainda do Anjo da Guarda e também quantas já não invocaram sua proteção? Algumas pessoas afirmam que se não veem algo, então para elas não existe. Eu prefiro crer a não crer e penso como a vida seria sem graça se não aceitássemos coisa alguma que não tivesse explicação. Para aqueles que tem uma compreensão mais profunda da vida, tudo tem significado. Comece pensando nos espíritos mais elevados da natureza, nos anjos que iluminam os planos sutis e sintonize com eles. Todos temos capacidade de sintonizar com os reinos angélicos, você só precisa se concentrar e deixar o amor fluir. O mundo dos anjos é o mundo do amor, por isso a melhor forma de conexão com eles é o AMOR. São Thomas de Aquino afirmou que os anjos são seres cujos corpos e essências, são formados de um tecido da chamada luz astral e que eles se comunicam com os homens através da egrégora, podendo inclusive, assumir formas físicas. Nosso Anjo da Guarda pessoal está ao nosso lado desde o dia em que nascemos até o dia da nossa partida. Entretanto, a infelicidade pode deixar o “Anjo” sem ação pois ele respeita as nossas escolhas e fica então esperando e mandando insights, até o instante em que deixamos de sofrer para que possa ocorrer uma transformação. Estes insights, também conhecidos como “bilhetinhos cósmicos”, são ofertados pelos Anjos às pessoas e também às circunstâncias ao nosso redor, colocando setas no caminho mais propício ao nosso crescimento. Podemos identificar cada “bilhetinho” naquele amigo que encontramos quando estamos precisando de uma palavrinha; naquele incidente que impediu que circulássemos por aquele percurso mais arriscado; naquele livro que caiu nas nossas mãos trazendo exatamente o conteúdo para uma tomada de decisão mais sábia; naquele folheto de um seminário que alguém nos trouxe para uma sequência aos ensinamentos que estamos buscando; naquela ausência que nos fez reavaliar o quanto temos sido negligentes nos nossos compromissos; naquela dor cujo aprendizado foi de extrema importância para burilar nossa experiência espiritual...e tantos outros “avisos” que nem sempre damos a devida atenção!!!! Entretanto, não podemos nos esquecer dos maiores “anjos” encarnados que temos... aquelas pessoas que estão sempre ao nosso lado atuando com amor incondicional, ajudando na nossa caminhada, ouvindo as nossas tristezas, comemorando as nossas alegrias e ofertando seu ombro e carinho sempre que precisamos. Ouvi certa vez alguém dizer que somos anjos de uma só asa e que precisamos nos abraçar para alçar vôo. E são exatamente estes anjos, nossos irmãos de alma e cúmplices de todos os momentos que precisamos para, abraçados, voar para onde quisermos. Sandra Giannoni/Sanastro S.P. 27/04/2017 sanastro47@gmail.com Site: Somos Todos Um

sexta-feira, 14 de abril de 2017

DESCOBRINDO AS BÊNÇÃOS DISFARÇADAS

Estamos no outono, uma estação que nos traz reflexões a respeito de algumas coisas, como por exemplo: o processo de deixar ir o que não serve mais para uma purificação; a necessidade de relaxar e deixar que os pensamentos fluam como forma de atingir uma real sabedoria. Hoje, resolvi fechar minha agenda e deixar que o dia me surpreendesse desfrutando das surpresas que a vida poderia me proporcionar. Percebi que era tempo de reforçar meus bons sentimentos e recarregar minhas baterias interiores. Ainda pensando a respeito das energias do outono percebi quantas bênçãos disfarçadas podemos ter quando centramos nossa atenção no aqui/agora. Outono uma estação que nos proporciona dias ensolarados que aquecem o nosso corpo e noites muito aconchegantes, que agasalham nossos sonhos. Logo pela manhã ao toque do despertador, não foi nada fácil sair do conforto da cama, mas isso foi compensado pela bênção de mais um dia de oportunidades e também de poder crescer com os desafios. Saindo de casa, o primeiro desafio foi enfrentar o trânsito, mas por trás, a bênção disfarçada da liberdade, da autonomia e de poder me locomover através de um corpo são, de uma mente sadia e de um espírito consciente da sua missão no planeta. Num dia de surpresas proporcionadas pela vida, comecei a caminhar pelo bairro e manter-me aberta àquilo que seria parte do meu “aprendizado” e das bênçãos do dia. Pontos de ônibus repletos, pessoas estressadas, caras fechadas, brigas de trânsito, logo me mostraram a bênção da liberdade, da bem aventurança e de poder tirar um dia para sair do TER e me dedicar ao SER. Isso realmente não tem preço! Hora do almoço e filas enormes, com reclamação das pessoas que olhavam insistentemente nos relógios, sem nenhuma preparação para o que iriam ingerir. Isso foi compensado pela bênção de poder aguardar minha vez e ser suprida com o alimento para reforçar minhas energias. No período da tarde, mais bênçãos oferecidas pela natureza, como o canto dos pássaros, o sorriso das crianças, o encontro com as pessoas e a compreensão da dinâmica da vida, num ato contínuo de dar e receber para a realização plena. E novamente chegou o cair da tarde e hora de reavaliar quantas bênçãos a vida me ofereceu a cada instante, considerando tudo aquilo que tenho à minha disposição a cada momento: Bênçãos Divinas que precisam ser descobertas através dos acontecimentos cotidianos. Isso foi um grande treino para o meu espírito inventivo que sempre brota das minhas próprios profundezas, quando permito, e que podem ser muito relevantes para proporcionar uma real transformação. Essa energia vital que me ensina como aproveitar melhor a força do meu interior. É a sabedoria, é a consciência de tudo que acontece e que me faz tirar um proveito até mesmo dos desafios e me conduzir a um caminho de muita Luz e Paz, cercado de muitas bênçãos. Sandra Giannoni/Sanastro O Segredo: Sandra Giannoni sanastro47@gmail.com SP. 11/4/2017